Propaganda Box

terça-feira, 24 de março de 2015

Curiosidade na era Steve Jobs

No início deste mês, nós noticiamos o anúncio de um novo livro sobre o saudoso guru da Apple, o que promete revelar história inédita  e será oficialmente lançado no dia 24 de março.

A obra, intitulada “Becoming Steve Jobs”, é uma biografia produzida por Brent Schlender, que o entrevistou diversas vezes ao longo dos 25 anos que trabalhou cobrindo eventos e notícias no Vale do Silício, e Rick Tetzeli.

Não demorou muito para que o primeiro relato, até então desconhecido do público em geral, que Tim Cook ofereceu parte do seu fígado  a Jobs quando ele estava doente. O mais novo “causo” revelado antes da hora é que Jony Ive, atual vice-presidente sênior de design da companhia, esperava ser demitido com a volta de Steve Jobs para a Apple.

A caminho do RH

O livro conta toda a trajetória profissional de Jobs, desde a criação da marca com a maçã mordida até a sua morte, causada por um câncer. Um dos trechos aborda o período no qual a excêntrica personalidade do mundo da tecnologia foi afastada da empresa que ajudou a criar, o que aconteceu em 1985.

Abusando de sua criatividade e habilidade indiscutível em vender produtos e criar necessidades nos consumidores, Jobs abriu a NeXT — que mais tarde foi comprada pela Apple, o que acabou viabilizando o seu retorno para a companhia no ano de 1997.

É exatamente nessa época que o designer de produtos temeu ficar desempregado. A Maçã havia perdido uma boa parte do mercado e fazia tempo que não emplacava um aparelho de grande sucesso. Assim que retornou à empresa, Jobs começou a descontinuar dispositivos que não rendiam e cancelar projetos para os quais não via futuro. Tudo isso, obviamente, impactava também na demissão de funcionários.

Tudo sugeria uma demissão

“Aquela foi a primeira vez que nos encontramos, e ele havia acabado de começar a falar em readmitir Harmut Esslinger [fundador da Frog Design e um dos responsáveis pelo projeto do primeiro Macintosh]”, contou Jony Ive a Schlender. “Ele veio para o estúdio, e eu achava que era essencialmente para me demitir”, complementou o designer.

Outro fato que levava Ive a acreditar que seu pescoço estava prestes a ser cortado do quadro de colaboradores eram os discursos de Jobs dizendo que “os produtos que vendiam no momento não eram bons para todos”. Mais tarde, o genioso líder da Apple teria confessado que simpatizava com Ive, conhecido por ser uma pessoa introvertida, por conseguir “explicar claramente ideias complexas”, assim como ele era capaz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário