Propaganda Box

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Hacker ataque Sony network no natal

Se você está em casa aproveitando o seu feriado e está tendo dificuldades para se conectar à PlayStation Network ou à Xbox Live, culpe os hackers (ou crackers, se você preferir). Desde ontem e, com maior incidência hoje, os servidores das duas companhias têm sido vítimas de ataques DDoS, deixando os serviços instáveis ou completamente fora do ar.

De acordo com a página do suporte xbox live, os serviços no momento estão limitados, o que significa que você pode não conseguir se conectar via Xbox 360 ou Xbox One. Com alguns serviços inacessíveis, é possível que você não consiga nem mesmo jogar alguma coisa e, para isso, é preciso mudar seu status para offline, ao menos por enquanto.

Já a Sony informou pelo Twitter, que já identificou as falhas e que está investigando as possíveis causas enquanto trabalha para normalizar as atividades. Nas redes sociais, é grande o número de usuários que têm relatado instabilidades de conexão ao longo do dia.

A "tragédia" já havia sido anunciado no início de Dezembro , quando o grupo Lizard Squad, que havia deixado a PSN instável, prometeu atacar também a Live no Natal. Apesar de ainda não ter sido confirmada oficialmente a autoria dos novos ataques, tudo leva a crer que o grupo cumpriu a promessa e decidiu estragar a diversão de muita gente neste feriado.

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Coreia do Norte ameaça atacar a Casa Branca

O ataque que a Coréia do Norte  contra a Sony Pictures por conta do filme "A Entrevista" está se desenrolando como um conflito político internacional. Agora, chegou a vez do país asiático responder com uma declaração de possibilidade de retaliação militar.

De acordo com a agência de notícias de Pyongyang, a Coreia do Norte alega ter "evidências claras" de que a Casa Branca evolveu-se diretamente na produção do roteiro difamatório de "A Entrevista" — e, por isso, o símbolo político mais tradicional dos Estados Unidos seria um alvo de ataques militares.

O relato cita que o país foi alvo de "uma ciberguerra surpreendentemente sofisticada, destrutiva e ameaçadora" e chama o filme de "não desejado e reacionário". O país elogia os terroristas, mas alega que eles são somente simpatizantes às causas da Coreia do Norte, não encomendados pelo governo em si.

"Nossos alvos são todas as cidades dos Estados Unidos imperialista, que têm o mais amargo rancor por parte de todos os coreanos. O exército e as pessoas da República Popular e Democrática da Coreia estão totalmente prontos para entrar em confronto com os EUA em todos os espaços de guerra, incluindo o digital, para explodir todas essas cidadelas. Nosso contra-ataque mais firme será duramente direcionado contra a Casa Branca, o Pentágono e todo o território norte-americano, que são a fossa do terrorismo", diz o comunicado.

Essa não é a primeira ameaça que a Coreia do Norte faz contra os Estados Unidos: Kim Jong-Il, pai do atual líder e ditador anteriormente no poder no país, vivia realizando testes e avisando que Washington (ou a Coreia do Sul, bem mais perto, mas que também não sofreu ataques) seria seu próximo alvo. Agora, entretanto, a situação é um pouco diferente e já mais avançada devido ao ataque digital.

Conflito mundial

Depois do cancelamento da distribuição do filme e das declarações do FBI e de Barack Obama sobre o caso (agora, ele alega que vai rever os resultados das investigações e não fala mais em ato de guerra), outros países manifestaram-se. Para começar, a China lançou um comunicado mais em cima do muro, partindo para um discurso "Deixa disso, galera!" e tentando evitar um conflito maior.

"Qualquer nação civilizada deve se opor a ataques hackers ou ameaças terroristas. Porém, um filme como "A Entrevista", que faz graça de um líder de um inimigo dos EUA, não é nada de se orgulhar para Hollywood ou a sociedade norte-americana. (...). Não importa como a sociedade dos EUA olha para a Coreia do Norte e Kim Jong-Un, Kim ainda é o líder daquele país. A zombaria viciosa de Kim é resultado apenas de arrogância e falta de senso cultural".

Já a Coreia do Sul passa por momentos de tensão. Dados de plantas de uma usina nuclear foram postados online e uma ameaça enviada ao órgão responsável exigia o desligamento de três reatores durante o Natal. O país está em uma investigação dura para descobrir a fonte desse ataque e do hack contra a Sony Pictures, que aparentemente foi obra de uma gangue local.

Coreia do Norte fica sem internet

De acordo com o North Korea Tech, a Coreia do Norte está praticamente sem internet há cerca de 24 horas. Inúmeros problemas de instabilidade em todos os servidores do país foram registrados, e a maior parte dos IPs norte-coreanos está inoperante. Não há informações oficiais sobre a natureza do problema, mas especula-se que isso seja fruto da “resposta proporcional” prometida pelo presidente dos EUA por conta dos ataque a Sony Picture.

Em uma transmissão ao vivo na última sexta-feira (19/12), Barack Obama disse que os ataques ao estúdio hollywoodiano eram uma tentativa de censurar os norte-americanos e, por isso, era necessário responder de forma proporcional.

Guerra na web

Se isso realmente for obra do governo norte-americano, é possível que novas informações que confirmem ou refutem essa hipótese surjam em breve. Caso positivo, os EUA acabam de extrapolar um novo nível de ataques cibernéticos, dando margem para a Coreia do Norte iniciar uma verdadeira ciber-guerra.

Não há muitos usuários da internet na Coreia do Norte, uma vez que a estrutura da rede por lá é quase completamente dedicada ao governo e a ações militares. Mesmo assim, o caso do hack dá Sony  está longe de representar para os EUA o que representa para a Coreia do Norte uma completa interrupção de sua rede. Fique ligado no TecMundo para saber mais sobre o caso.

Atualização: ataque DDoS massivo

De acordo com informações do The New York Times, um ataque massivo de DDoS tem sido registrado nas últimas horas na Coreia do Norte. Segundo informações do jornal, o país tem apenas 1.024 endereços de IP, a maioria deles utilizado pelo governo. Apenas a título de comparação, os Estados Unidos possuem bilhões deles.

O serviço de internet na Coreia do Norte é administrado pela Star Joint Venture, empresa que obtem a maioria das suas conexões por meio da rede da China Unicorn, estatal de telecomunicações da China. O ataque direcionado a esses endereços fez com que, no período da manhã, o serviço ficasse fora do ar por uma hora.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Falha no sistema da Apple via USB


O vídeo acima é longo! Mas se você se preocupa com segurança digital, vale a pena assistir a cada um dos 10 minutos que foram gravados por Samy— um especialista no assunto e responsável pela produção de um dos sistemas mais assustadores que já vimos. Ele descobriu uma vulnerabilidade no OS X (sistema operacional de computadores Apple), que permite o acesso total dos computadores por meio da porta USB.

Trata-se do USBdriveby, que dá acesso do sistema a qualquer dispositivo USB preparado da maneira correta. Para explorar isso, ele criou um dispositivo microcontrolador, que funciona de uma maneira bem interessante. O dispositivo é reconhecido como um mouse e um teclado, permitindo que o hacker acesse terminais, modifique configurações, instale aplicações não autorizadas e muito mais.

Vale dizer que o dispositivo é todo programado anteriormente. Ou seja, assim que ele é conectado ao computador, todas as ações começam a ser feitas automaticamente. Isso significa que o hacker só precisa conectar o USB à porta do equipamento e então todas as ações de tomada de controle são realizadas sem a interferência humana. Dessa forma podem ser instalados diversos malwares, por exemplo.

Entre as principais possibilidades que os hackers têm com o USBdriveby estão a instalação de keyloggers ou backdoors. Com os primeiros, é possível registrar todos os movimentos de um usuário no computador — o que inclui o armazenamento de senhas, dados pessoais e uma série de outras informações. Os segundos trazem mais vulnerabilidades, permitindo que pessoas não autorizadas tenham acesso remoto ao aparelho.

Vale dizer que o USBdriveby não pode ser transmitido via internet, por isso a proteção contra ele é relativamente simples. Não deixar o computador desbloqueado é o suficiente para evitar que algum hacker se aproxime com dispositivos capazes de fazer o que foi mostrado no vídeo. Mesmo assim, vale a pena ficar atento para saber se a Apple vai liberar alguma atualização para neutralizar essa ameaça.


Apple estaria preparando mais segurança para seu iTouch ID

Parece que a Apple não está satisfeita com o nível de segurança do atual Touch ID dos iPhones e iPads. A companhia conseguiu o registro de uma nova patente nos EUA em que fica esquematizado um novo modelo de desbloqueio que utiliza o sensor de impressões digitais não apenas para ler as informações biométricas do usuário, mas também para identificar padrões de movimentos e gestos.

Esses padrões poderiam ser utilizados de várias formas e, para inseri-los no aparelho a ser desbloqueado, o usuário teria que movimentar o dedo no sensor para os lados, para cima, para baixo e até girar o dedo no componente. Com isso, os passos do padrão seriam mostrados na tela ao passo que acontecem para que a pessoa não perca a sequência das coisas.

Ao que parece, seria possível combinar esses movimentos diferentes no sensor ou usar apenas um tipo específico. Por exemplo, uma imagem da patente mostra que o usuário poderia apenas girar o dedo, e uma animação de um círculo numerado mostraria na tela quando o “segredo do cofre” fosse completado.

Como se trata apenas de uma patente, não há como saber quando ou se isso um dia será implementando em algum iPhone ou iPad. Certamente iria agregar mais segurança, porém menos praticidade ao Touch ID.


Ataques a Sony , FBI responsabiliza a Coreia do Norte

Nas últimas semanas, muito se falou a respeito da invasão de servidores da Sony Pictures e outros ataques destinados à mesma empresa. Muito se especulava acerca da origem dos ataques, sendo que as maiores desconfianças pairavam sobre a possibilidade de a Coreia do Norte ser a grande responsável pelo ocorrido. Nesta semana, alguns jornais americanos confirma e hoje a denúncia foi oficializada.

Em um comunicado oficial, o FBI — a Polícia Federal dos Estados Unidos da América — acusou formalmente a Coreia do Norte como a responsável pelos ataques. A instituição afirma que possui “informações suficientes para concluir que o governo norte-coreano é o responsável pelas ações”, apesar de ainda não ter revelado que informações são essas. Mesmo assim, foram reveladas três importantes fatores das investigações:

  • O malware usado nos ataques já era conhecido do FBI e várias linhas de código coincidem com outros arquivos maliciosos originados da Coreia do Norte.
  • Diversos endereços de IP associados ao país foram relacionados aos malwares utilizados no ataque.
  • Ferramentas usadas na invasão deixaram traços similares aos vistos nos ataques da Coreia do Norte aos bancos e veículos de imprensa da Coreia do Sul em 2013.

Como deixa claro o The Web, o FBI afirma estar profundamente preocupado com o quanto os ataques desse tipo podem afetar os setores privados e também os cidadãos. A Polícia também diz que vai trabalhar para identificar, encontrar e impor multas e outras consequências aos grupos ou países que ameaçarem os Estados Unidos ou os seus interesses.

E o filme, como está?

Talvez você se lembre que uma das motivações para que a Sony fosse atacada é o enredo do filme A Entrevista. Este filme produzido pela Sony Pictures mostraria uma missão de assassinato do ditador norte-coreano Kim Jong-um. Por temer ainda mais represálias, a Sony até mesmo cancelou a estréia do filme nos Estados Unidos e cogitou levar o filme diretamente para a exibição caseira.

Agora, os mesmos hackers que já haviam invadido a Sony anteriormente enviaram outras mensagens para os executivos da produtora. Segundo documentos obtidos pela CNN, eles afirmam que não vão mais realizar nenhum ataque e nem voltarão a ser notícias, desde que a Sony Pictures “nunca permita a exibição dos filmes”, seja no cinema, em DVD ou mesmo permitindo a pirataria. Eles também exigem que todo o conteúdo online — incluindo trailers — seja excluído.

Vale dizer que a Sony ainda não declarou seu posicionamento oficial. Será que algum dia veremos o filme chegando às salas de cinema ou é melhor — para a segurança mundial — fazer com que ele fique para sempre esquecido?

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Dica de app para Android

O aplicativo Taskbar está disponível na Play Store e pode ser facilmente instalado em versões Android 2.2 e superiores. O download é gratuito – faça-o diretamente por meio deste link.

Personalizar o aplicativo é bastante fácil e não exige conhecimentos avançados por parte de usuários. Ajuste, por exemplo, a transparência das abas, adicione atalhos ao seu “Menu Iniciar” por meio dos comandos simples da extensão, acesse a conexão WiFi ou consulte sua lista de contatos a partir de poucos toques em Taskbar.

Vale mencionar que o aplicativo pode não funcionar corretamente em alguns dispositivos – em nosso caso, somente a interface que simula a experiência junto do Windows pôde ser ativada em Nexus 5; não foi possível configurar atalhos ou transparência de abas. Em outros aparelhos, porém, poucos problemas de desempenho foram notados por demais usuários.

A polícia fecha os servidores do The Pirate Bay

O site The Pirate Bay está fora do ar desde o início do dia por conta de uma operação de busca e apreensão realizada pela polícia sueca. As informações foram divulgadas pelo site Metro, da Suécia. Além disso, sites como o TorrentFreak ouviram representantes das autoridades sueca, que confirmaram que há uma operação em andamento nesse sentido.

Informações precisas sobre a interrupção de conexão dos servidores do The Pirate Bay não foram divulgadas. O site tentou retomar as suas atividades ainda no período da tarde, por meio dos domínios thepiratebay.cr e thepiratebay.ac, mas ambos sofrem com instabilidades e, ao menos no momento em que esta notícia estava sendo redigida, se mostravam intrafegáveis.

“Houve uma grande operação no servidor localizado na cidade de Estocolmo, na Suécia, e isso está relacionado a violações de leis de direito autoral”, destacou um representante da polícia local que preferiu não se identificar. Ainda não foi confirmado se a ação da polícia sueca visava especificamente o The Pirate Bay ou se outros serviços similares foram comprometidos. Não há confirmações de prisões até o momento.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Canal do YouTube para Apple TVs é totalmente redesenhado


Replay
Share
Powered byreEmbed
Report an issue

Review - Apple TV de terceira geração (foto by MacMagazine)Novidades para quem é usuário da Apple TV! O canal do YouTube ganhou um visual novo — disponível apenas para quem tem a terceira geração do set-top box da Maçã. Além desse novo visual (o qual pode ser conferido no vídeo acima e que traz junto dele a veiculação de anúncios), outra novidade foi a chegada do canal Dailymotion. Quem tem uma conta americana na iTunes Store também ganhou outros três canais: The SceneFusion e UFC. Tudo isso aparece automaticamente no aparelho — não é preciso fazer nenhuma atualização para enxergar os novos canais. ;-) [9to5Mac]

Sem ninguém espera Apple libera IOS 8.1.2

A Apple liberou hoje uma atualização do iOS 8.1.2 para todos os usuários de dispositivos compatíveis. A atualização traz como novidade o conserto de um bug que impedia que usuários que compraram ringtones (toques de celular) na iTunes Store pudessem usá-los.

Aparentemente, se você nunca comprou ringtones na loja da Apple não notará nenhuma mudança nesta atualização.

"Uma Atualização meio para tampar um buraco! Sem tão importância, mas soft bom e soft atualizado!!"


terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Um app para MacUser muito interessante

O Touch ID, sensor biométrico de desbloqueio dos mais novos modelos de iPhone e iPad, é uma boa medida de segurança que serve também para agilizar o desbloqueio de tela — quem nunca errou a senha mais de uma vez sem querer ou não lembrava do código de jeito nenhum? Infelizmente, esse método não está disponível para Macs, mas é possível "dar um jeitinho" e fazer com que você desbloqueie também o computador dessa maneira.

Trata-se de um aplicativo chamado Fingerkey, disponível na App Store por US$ 1,99 (pouco mais de R$ 5). Usando uma conexão Bluetooth entre um iPhone e um Mac, ele é capaz de criar um mecanismo de desbloqueio biométrico remoto de um dispositivo para o outro — ou seja, você pode liberar o acesso ao seu Mac (e a outros Macs que estejam próximos e sob a mesma rede Bluetooth) só inserindo a impressão digital no smartphone.

Para proteger os dados, o app utiliza o esquema de criptografia AES de 256 bits. Por enquanto, o suporte ao iPhone 6 e o Plus apresenta problemas, mas uma atualização a ser lançada em breve deve corrigir qualquer falha. Além disso, o desenvolvedor estuda ainda a possibilidade de expandir as funções também para computadores Windows ou Linux.

Clique aqui para baixar o FingerKey.


Windows 10 final pode chegar no meio de 2015

O cronograma de desenvolvimento do Windows 10 foi apresentado em setembro. E nesta semana, Kevin Turner, diretor de operações da Microsoft, falou também sobre um novo modelo de negócios que poderá ser adotado pela companhia.

De acordo com o executivo, as experiências dos usuários do novo OS deverão ser avaliadas já em março; uma prévia para desenvolvedores será lançada e a versão final do software deverá ser disponibilizada durante o segundo semestre de 2015. 

A “onda de lançamentos” irá acontecer na metade do próximo ano – especula-se também que a prévia do Windows 10 para dispositivos móveis chegue em janeiro. Mas o que ganha destaque é a forma com que as atualizações poderão ser feitas. Acontece que o preço do novo software não foi ainda mencionado, o que pode inaugurar um novo modo de contrato junto à empresa.

“Ainda não anunciamos os preços de referência para o Windows 10. Mas a única coisa que posso dizer é que conversamos sobre como o sistema não é um ‘líder de perda’ para nós”, explicou Turner. “Temos de monetizar de forma diferente. Há serviços envolvidos. Há oportunidades adicionais para que possamos oferecer a ferramenta de forma criativa”.

Pode ser que o novo sistema seja, por exemplo, oferecido gratuitamente por meio de pacotes a empresas ou a usuários comuns – a aquisição de demais serviços, como assinaturas junto ao Office 365, poderia ser requerida separadamente.

Google vai lançar app de tradução de Imagem

Em maio deste ano, a Google adquiriu a West, empresa responsável pelo Word Lens, um aplicativo que traduz imagens textuais. Agora, o Android Police descobriu que a empresa já incorporou o recurso ao Google Tradutor.

A publicação exibe diversas imagens (abaixo) que supostamente são da nova versão do aplicativo. Através delas, podemos O Google Tradutor já com os recursos do Word Lens incorporados, sendo capaz de traduzir automaticamente os textos que são apontados pela câmera.

Tradução de conversas aprimorado

Outra novidade bastante interessante é que o sistema de tradução de conversa foi aprimorado, ficando mais rápido e fácil de usar. Agora, não é mais preciso selecionar manualmente cada língua, pois o sistema reconhece os idiomas e traduz por conta própria.

As atualizações ainda não tem data para chegar ao aplicativo.